Camaleão, ou Flautista de Hamelin?

David Bowie, Camaleão Musical ? Ou Flautista de Hamelin?

Quando recordamos artistas que moldaram a música ao longo dos anos muitas das vezes  associados ao nome os seus alcunhas vêm-nos à memória:

Elvis – ‘The King’,
Frank Sinatra – ‘The Voice’,
Little Richard – ‘The Architect of Rock and Roll’
Jerry Lee Lewis – ‘ The Killer’,
Aretha Franklin  -‘Queen of Soul’,
Benny Goodman  – ‘The King of Jazz’,
Madonna – ‘Queen of Pop’
Michael Jackson – ‘King of Pop’.  etc

Alcunhas ou títulos muitas vezes lançados em emissões radiofónicas por DJ’s de Radio que ficavam associados ao artista. Eram repetidos sempre que vinham à memória dos ouvintes ficando eternizados desse momento adiante.

No entanto houve um caso muito peculiar.

James Brown que se auto-intitulava com uma série de ‘Nicknames’ todos eles estupendos.

Imaginem que numa aparição de TV, James Brown chegou a anunciar o seguinte:

I’m the Soul Brother Number One,
Sex Machine,
Mr. Dynamite,
The Hardest Working Man in Show Business,
The King of Funk,
Minister of The New New Super Heavy Funk,
Mr. Please Please Please Please Her,
I Feel Good,
The Original Disco Man
and The Godfather of Soul.

No livro Sweet Soul Music de Arthur Conley (seu colega de profissão) James Brown é referido como ‘King of Soul‘.

Na minha opinião Arthur Conley era melhor interprete da Soul Music do que James, mas quem sou eu para desvalorizar um título dado por um seu par, como Arthur Conley.

É assim que deve ficar, apesar de a maioria o conhecer por Godfather of Soul, aliás era assim que ele era apresentado pelo seu M.C. nos concertos ao vivo. Na verdade é o titulo que mais se adequa ao artista, quando assistimos aos seus concertos ao vivo ou nas suas entrevistas, talvez pelo seu carácter ardiloso, fazendo lembrar um verdadeiro Padrinho da Máfia, aqui numa versão Soul.  Ele entretém-nos  com a sua postura desafiadora e imprevisível durante as entrevistas e por outro lado com um dramatismo excêntrico durante as suas actuações, principalmente a partir dos anos 70.

Há cerca de 49 anos o inglês David Bowie compôs uma música chamada Space Oddity, sobre um astronauta fictício, Major Tom, que saía da Terra para uma missão solitária no espaço. O single da faixa foi lançado no dia 11 de julho de 1969, para coincidir com a data do lançamento da missão Apollo 11 de 20 de Julho, que, especulava-se, seria a primeira a chegar à Lua. A estratégia funcionou. A Apollo 11 conseguiu concluir a missão e Space Oddity, mesmo tendo uma letra pessimista em que Major Tom parece morrer ou ficar à deriva no espaço no fim, foi usada pela BBC como banda sonora da cobertura da chegada do homem à Lua. Garantindo assim o primeiro sucesso de Bowie  chegando ao 5º lugar nas tabelas do Reino Unido.

Podemos pensar que o Nickname de Camaleão pode ser adequado a este artistas por se ter reeinventado inumeras vezes , mas um Camaleão muda de cor ambientando-se ao espaço que o rodeia como forma de protecção. Essa caracteristica é diferente da performance  vanguardista que Bowie tinha.

Ele antecipava, criava modas. Um pouco à imagem dos desfiles de moda , onde se ouve falar em tendências.

Tendências?

Afinal o que são tendências? É criar um novo paradigma? Ou será que é ir atrás de uma dica, fresquinha, mas, que já existe.

Bowie estava sempre atento e por vezes ficava uns meses atrás das tendências, outras vezes era ele que as criava. No entanto quando ficava atrás, surgia com um novo album para as consolidar.

O Porquê desta necessidade, não sei.

Mas vamos tentar perceber.

Vejamos:

A cinco (5) dias do 1º Homem pousar na Lua em 20 de Julho de 1969, David Bowie lança a canção Space Oddity , ao ouvirmos e lermos percebemos que foi um risco enorme (a letra acaba com o Major Tom perdido no Espaço) Bowie arrisca no pior que pode acontecer nesta epopeia de conquista do espaço levada a cabo pelos EU da America, se a viagem do Homem à Lua se tivesse dado como escreveu na sua letra teria toda uma América a odiá-lo. Seria provavelmente considerado um sabotador a soldo da Russia ou um simples profeta da desgraça para os mais religiosos.

Mas a missão Apolo 11 tornou-se um sucesso, levando atrás a música de Bowie que acaba por ser um hino ao emprendimento espacial Norte Americano. David Bowie torna-se uma estrela Mundial. A partir desse momento a sua Space Oddity passa a ter seguidores.

A titulo de curiosidade Space Oddity numa tradução livre pode significar Esquisitice Espacial . Parece-me a mim que o David estava ceptico em relação ao Homem aterrar na lua.

Mas nos álbuns a seguir seguiu em frente.

Ainda só falamos de uma música de David Bowie.

Continua… um dia destes…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>